Era uma casa…

Nesse final de semana, fomos ver a quantas anda a construção da nossa casa que era para sair agora em janeiro, mas foi adiada para março (até o momento). Essa burocracia parece ser comum em muitas construtoras, que prometem entregar residenciais e condomínios em 12 meses!

A princípio, ficamos meio perdidos, fomos para as casas mais distantes e nunca achavamos nossa quadra, quando desistimos de procurar, já na saída, resolvemos ver umas casas que estavam na lateral, e lá estava a nossa, bem localizada e para minha surpresa, da cor que eu queria!!!

As casas já estão praticamente prontas, forro, piso, pintura… Ficamos muito felizes! Infelizmente, com o atraso da entrega, também vamos atrasar nossos planos, já que vamos trocar algumas coisas na casa, como portas e janelas, e acrescentaremos outras… Mas já dá para tirar as medidas e planejar tudo mais calmamente!

Ronei começou a faculdade, eu terminei a bendita maldita monografia e me formo em abril, Boas notícias, depois de uma nuvem negra e densa que ficou um tempo sobre nós!

Update: O blog andou meio parado, porque a monografia me sugou nesse fim de ano e início de 2012, mas em breve volto a viver, porque as contas se acumulam na caixa dos correios!

Anúncios

Enquanto isso, nos bastidores…

São mais de três horas da manhã e ainda não consigo dormir. Estou notavelmente cansado, olhos caídos com os redores arroxeados, aquela cara inegável de sono porém preocupado demais em dormir e perder um fio de pensamento que leve a alguma conclusão de mim.

Carrego comigo algumas decisões, severas, que deviam ser mais fáceis de serem refeitas, revistas, caso desse errado. Mas como toda decisão importante, não se tem espaço para errar, daí vem a preocupação, depois o sono.

Já escrevi poemas inacabados, rabisquei frases feitas e nada do sono vir. Saudade, sim! Também sentindo a falta da minha menina, que hoje não pude contemplá-la.

 

Só quero que ela saiba, que aqui nos bastidores, longe dela, eu a amo muito e que sem ela, nada disso faria sentido. Nem sono, nem dor, nem pensamentos ruins, porque no fim, nada disso geraria a alegria, o sabor de vitória e o sorriso que vejo nascer no seu rosto a cada sucesso, são essas pequenas coisas que me fazem viver, sonhar e lutar cada vez mais por nossos bons ventos que estão por vir.

Das perguntas ineficazes…

Porque a gente erra tanto? Porque somos seres capazes de levar anos para construir e segundos para destruir?

A humanidade tem consigo mistérios que só mesmo com a desvenda da criação para solucionarmos.

Talvez seja errado e depressivo nos torturarmos com essas perguntas. Então que tal nos focarmos em algo mais útil e tentarmos pensar no porque não estamos sendo mais proveitosos e convenientes com o agora?

Porque o agora sim, vai refletir no futuro. É o agora que vai ser a base para resultar em construir ou destruir.

Muito já construí nessa minha curta e longa vida, nesses anos de trabalho e perseverança, muito mais ainda há de ser construído. Mas agora, agora mesmo, quero pensar em viver o melhor possível com ela. Ela que me faz tanto bem e me preocupa também.

Alguns danos que causamos são irreparáveis, por isso o melhor a se fazer é tentar nem pensar neles, tentar ter uma visão positiva do que houve e encarar como um aprendizado, que da forma mais violenta foi dado.

Então, deixemos de perguntas tão ineficazes, atos tão estúpidos, pensemos mais no agora para não colhermos consequências duras no futuro.

Vou viver o que puder, viver junto com minha menina, é o que me faz bem, é o que quero. Então, porque cada um de nós não tenta isso também? Que cada um viva o seu amor, seja ele qual for.