Quem não tem colírio…

Há muito tempo atrás, eu tento marcar para fazer uma texturização no cabelo em um bendito salão, depois de muitas ligações, consegui há 15 dias, agendar para ontem as 9 horas, só que nessa terça-feira também foi a cirurgia do meu pai (cirurgia de catarata nuclear), mas era minha mãe que iria acompanhá-lo, e eu não iria contribuir em nada, na verdade, nem poderia entrar além da recepção.

Assim sendo, saí de casa as 7 da manhã, pois o salão é do outro lado da cidade, e queria chegar em casa cedo ou ao mesmo tempo que meus pais, porém, em Teresina as pessoas estão fazendo manifestações para que a passagem de ônibus que aumentou para R$ 2,10, volte ao antigo valor R$ 1,90, ou menos ainda! Causa nobre, eu sei e concordo, porém eles estão fazendo as manifestações na avenida Frei Serafim, que liga a zona leste a zona sul. Eu saí do salão e fui para essa avenida pegar outro ônibus, na tentativa de chegar mais rápido em casa, mas a manifestação começou e os ônibus não pararam de passar por lá (obviamente) e eu me desesperei, celular já tinha descarregado, eu estava suando no calor e no pavor da cidade, sem saber como cargas d’agua iria chegar em casa!

Caminhei um bocado, peguei o 1º ônibus que passou, desci em outra avenida para pegar outro ônibus, (quinto do dia) que fosse para meu bairro. Consegui, e as 3:20 da tarde de ontem, eu cheguei em casa. Quando cheguei, descobri que a anestesia não pegou e precisou de outra dose, ele disse que sentiu muita dor durante a cirurgia, quando acabou, já se trocando para passar no consultório e ir embora, ele desmaiou, não tinha ninguém além deles no local e minha mãe teve que gritar até aparecerem os enfermeiros e médicos com balão de oxigênio, ele acordou 15 minutos depois, meus tios foram buscá-los e ainda bem, não pegaram a manifestação! Apenas eu dei essa zica sorte!

Mãos ao alto 2,10 é um assalto


Eu apoio demais a manifestação, mas não sei se parar os carros, quebrar ônibus e prefeitura vai resolver (não vi sinal de revogação, até agora), e a avenida Frei Serafim é próxima a hospitais, clínicas e escolas, seria melhor que essa manifestação parasse as avenidas dos bairros nobres, onde a grande maioria não sabe o que é pagar R$ 2,10 para pegar um ônibus para trabalhar, ir ao médico, ir a um salão de beleza e estudar! Também acho um absurdo polícia jogar spray de pimenta em pessoas que estão apenas lutando por seus direitos! Agora, tudo isso é bom para o piauiense mudar essa mente pequena, parar de se vender para políticos, parar de vender voto e de manter sempre os mesmos no poder por tantos anos… Próximo ano tem eleição e as campanhas já começaram!

2,10 é um assalto


A saga da terça-feira parecia não ter fim, mas teve! As manifestações continuam e devem continuar e não adianta tropa de choque, bala de borracha, spray de pimenta ou cavalaria, nada dá mais força aos manifestantes, que uma ditadura fora de questão!

P.S Meu pai está bem, tirou o curativo do olho hoje e agora tá usando um óculos escuro do exterminador do futuro! hahaha

Hasta la vista, Beiber

Anúncios

Sem palavras para um título

Teresina cresceu, e com seu crescimento, vieram novos estabelecimentos, novos bares e casa de shows e bons restaurantes… Toda noite, há o que fazer em Teresina! Porém, todo esse crescimento trouxe o indesejado… Insegurança e violência!

Na última quinta-feira, uma moça de 19 anos, foi brutalmente assassinada em Teresina. Eu fiquei e ainda estou chocada… Mas não quero dá detalhes de como foi sua morte, não quero por em palavras. Esse post é para falar do jornalismo piauiense. Um jornalismo sem ética, respeito, decência e profissionalismo. É ridículo ver a exposição que fizeram da moça. Os vídeos na TV e todos os sites com fotos dela, sem tarjas ou algo do tipo. As fotos foram tiradas e postadas integralmente. Não é nem só pela família que vai ver e vai sofrer ainda mais, mas por todos que acessam. Noticiar algo em primeira mão ou não, requer pesquisa e cuidado com as informações que serão passadas a um público, mas a pesquisa não é invadir o velório da moça, ou entrar filmando a cena do crime, ou sair cogitando se ela era assim ou assada!

O que vi em Teresina, foram jornalistas de batida policial pisando na cena do crime, que foi isolada por pedaços de madeira, foi câmera dando close na moça, tudo isso, com o intuito de conseguir audiência. Em Teresina, jornalismo bom é jornalismo que mostra tudo e que dá a notícia, não importa se verdadeira ou não. E que polícia é essa que não isola a área toda? Que não proíbe a entrada de todos que não estão ali para solucionar o caso? O que esses jornalistas de quinta categoria iam fazer? Em que iam ajudar? Eu tenho vergonha de ligar a TV e ver Toni Black, Beto Rêgo, Juvenal, Pádua e todos os outros jornalistas carniceiros da TV piauiense! Estou falando deles como profissionais, não como pessoas, não os conheço!

Eu torço muito por aqueles que estão dispostos a dar um novo rumo ao jornalismo da nossa cidade e estado!

* Não sei se fiz bem em escrever isso… Mas ontem, quando vi que estavam mostrando o velório da moça, fiquei com tanto ódio! Perdi dois tios em acidentes de carro, o primeiro eu ainda era bebê, o segundo eu já tinha 11 anos e lembro bem de um dos jornalistas citados chegando no velório do meu tio, naquele momento, não entendi a revolta da minha família, hoje, entendo bem!

O que a chuva traz

E deu aquela chuvinha gostosa em Teresina… Depois de um dia quente e ensolarado, a tardinha o céu ficou num tom envelhecido e caiu uma chuvinha que esfriou as calçadas e deixou aquele cheiro bom de banhos de chuva no bairro!

Adoro quando a chuva não deixa o tempo abafado, a de hoje foi assim… Aquela chuva de ficar na cama com namorado, de tomar chocolate quente, de namorar… Quero chuvas como essa, sempre.

Nós em um dia chuvoso


Hoje me deu uma saudade imensa dele, chuva me faz sentir mais saudade que o habitual. Saudade só dói, se eterna. Se sei que, logo logo vou poder matar essa saudade, nem dói, e se torna um sentimento bom de sentir, em um dia chuvoso, com um chocolate quente!

Tengo lengo tengo

Há alguns dias, compartilhei um link no FB, e esse link falava da vocalista Solanja da banda aviões do forró, que depois de uma cirurgia bariátrica, perdeu mais de 50 kilos e com sua alto estima nas alturas, acabou mudando outras coisas para melhor. Um colega do meu namorado, comentou no link dizendo: “Quem?”. Eu fiquei chateada, pois mesmo não conhecendo uma música, conheço a banda, até porque até em comercial de cerveja a banda já apareceu, e morando no Piauí, seria impossível não conhecer.

Solange antes e depois


Quando eu vi o comentário, quem? senti um tom depreciativo e fiquei realmente chateada. A minha intenção era mostrar a mudança da cantora, não exaltar a banda, mas nem por isso tolerei, e acabei sendo um tanto ríspida com ele, o que me arrependo. Não sou fã do forró mais “moderno”, mas gosto do ritmo e acho que todo nordestino deveria respeitar sua raiz, não precisa ouvir, não precisa dizer que gosta, mas tem que respeitar.
rala coxa
Na verdade, o respeito é para todos os ritmos, se você mora do Piauí e gosta de metal, já deve ter visto muita cara torcida por aí, certo? Então, o respeito é para todos. Eu não consigo dizer que gosto de estilo tal, pois misturo muito, mesmo que seja de variantes do rock, ainda é uma mistura. Vou de MPB a rock alternativo fácil fácil!

Mas não é por meu gosto ser variado, que eu gosto de tudo. Tem muita música que detesto. Algumas vezes rola até implicância com cantor(a), não é que seja ruim, mas o santo não bate, acontece… Por exemplo, eu não gosto da Paula Fernandes, ela tem uma voz excelente, é bonita, sim, mas não simpatizei, é karma, é pra sempre! Ao contrário de Pato Fu, que sou fã, tem quem odeie, quem ache a Fernanda Takai a pior cantora do universo, mas eu gosto, das letras, da voz, simpatizei, é karma, é pra sempre! E tem o gosto e senso crítico de cada um, onde eu posso dizer: Não gosto de música “tal’ porque ela é ofensiva nisso, ou porque ela é ruim, ou a letra é boa, mas a melodia não ficou legal. Isso é normal, e não é desrespeitoso, é uma opinião!

Voltando ao forró… Cresci ouvindo Gonzagão, meu avó tinha alguns LP,s e o “xinon xinon” como ele chamava, embalou minha infância, e ainda hoje, acho que ele é o melhor cantor do ritmo, não vou delimitar se é pé de serra, baião… é forró!

Para finalizar, vou deixar o link da minha música preferida do rei do baião: A morte do vaqueiro, que atualmente está sendo regravada por muitas bandas de forró! Não deixo do aviões porque realmente não conheço nenhuma, mas digo uma coisa: Riquelme na batera! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Dicas para para mulheres desesperadas parecerem completamente patéticas

Que mulher nunca leu uma revista feminina? Tudo começa na adolescência com a capricho, é muito amor, né? Aquelas páginas coloridas, os colírios e todas as dicas “valiosas”. O tempo passa e as meninas, agora mulheres, se dividem, algumas leem a NOVA, Cláudia, Marie Claire e outras leem as de fofoca ou de donas de casa prendadas, nada contra nenhuma, dou uma olhada em todas no salão da Rosicreide, mas meu rico dinheirinho não dou fácil assim, não!

Se nada der certo, tem uma sorveteria aberta!


Há alguns dias, vi várias blogueiras tuitando sobre uma matéria da NOVA e fui ver qual o motivo do alvoroço, quando abro a página, lá estão elas: As dicas!

A revista intitulou o texto como um “guia de etiqueta sexual nos primeiros encontros”. Eu li e pensei, quem escreve isso? Quem aprova isso? E o pior: Quem segue essas dicas?

Desde quando a gente precisa de um guia para discernir o que é certo e o que é errado no nosso relacionamento? Cada relacionamento é único, cada casal sabe como levar o relacionamento sem precisar de uma cartinha que diz: Isso pode, isso tá cedo, isso não pode. Erros de compatibilidade existem, relacionamentos acabam, relacionamentos por interesse também existem e não há guia no mundo que possa impedir o fluxo natural das coisas.

No guia, tem uma pequena introdução que fala sobre o primeiro encontro e das milhares de dúvidas que permeiam a cabeça das mulheres (engraçado que nessas revistas, só a mulher tem dúvida), as dúvidas vão desde sexo no primeiro encontro até hora certa de dizer “eu te amo”.

Eu acho inadmissível que uma mulher precise buscar respostas para esses questionamentos, e que tenha esses questionamentos. Não existe hora certa e errada! Se você diz eu te amo no primeiro dia ou depois de 2 anos e o cara não tá nem aí pra você, que diferença essas 3 palavras fazem? Nenhuma! Se o cara gosta, ele não vai pular fora por ter ouvido isso na hora que deu o primeiro gole na bebida, ele pode até engasgar, mas não vai correr!

Eu e o Ronei estamos juntos há 3 anos e 11 meses e se não me falha a memória, a gente disse isso antes de completar o primeiro mês, foi uma coisa mútua, mas acho que naquele momento quem falou “eu te amo” foi a paixão, o amar mesmo, vem com tempo, com a convivência, mas e aí, isso muda tanto as coisas assim? Nem muda, acontece que as mulheres estão tão cobertas por uma insegurança que não importa o que façam, acham que falta algo, que fizeram algo errado e só essas 3 palavrinhas podem trazer a “sanidade” de volta.

Não gosto muito de falar sobre sexo no blog (até porque não é a proposta), então, aqui vai o link da página da NOVA com o guia ridículo, mas já aviso: Com 6 meses de relacionamento, já pode dizer “eu te amo” e em seguida também pode falar sobre sexo anal, as duas coisas estão lado a lado no guia! SEM MAIS!

Hoje, novamente no twitter, vi uma indicação do @cafa para um texto no blog dele, manual do cafajeste (para mulheres), onde ele dá sua opinião sobre outra matéria ridícula da NOVA “30 manobras sexuais extra hot (sem usar as mãos!)”, como disse antes, não gosto de falar de sexo aqui no blog, mas não pude deixar de comentar isso. A NOVA deu 30 dicas de como ser uma completa babaca na cama (sem as mãos), se você tem duas mãos e tantos outros atributos, porque querer parecer um cotoco? Isso a NOVA responde, mas lá no blog do cafa tem um texto muito bom sobre essas dicas “Manobras sexuais para você pagar mico na cama“, portanto, não vou me aprofundar mais, vale o clique!